instagram arrow-down

Sobre nós

O Liberidade surgiu com a missão de trazer luz ao cotidiano dos idosos e escrever novos capítulos de velhas histórias. Afinal, se tudo correr bem, todos vamos envelhecer. E nada melhor do que saber aproveitar a liberdade que a maturidade proporciona.

Categorias

Posts recentes

Comentários recentes

Arquivo

Meta

Quem vive perto de ruas movimentadas tem mais chance de desenvolver demência, diz estudo

Pesquisa foi feita com dois milhões de pessoas no Canadá durante um período de 11 anos e publicada na revista científica Lancet

Um estudo publicado na revista científica Lancet apontou que até 11% dos casos de demência entre quem mora a 50 metros ou menos de uma grande via pode ser consequência da proximidade com o trânsito. Em comparação com quem vive a 300 metros desses locais, o risco era 7% maior para quem morava a 50 metros ou menos, de 4% para distâncias entre 50 e 100 metros e de 2% para distâncias de 101 e 200 metros.

Leia mais: Pesquisadores holandeses relacionam depressão com risco maior para demência

Pesquisadores afirmam que a poluição e o ruído podem contribuir para a degeneração cerebral (Foto: Pixabay)

A pesquisa foi feita com dois milhões de pessoas na província de Ontário, no Canadá, durante um período de 11 anos, entre 2001 e 2012. Neste tempo, mais de 240 mil casos de demência, que afeta a memória e a capacidade mental de um indivíduo, foram diagnosticados.

Os cientistas também identificaram um risco maior de desenvolver a doença entre aqueles que vivem perto de ruas movimentadas. Eles afirmam que a poluição e o ruído podem contribuir para a degeneração cerebral. De acordo com um dos autores do estudo, o crescimento populacional e a urbanização levaram muitas pessoas a morarem em locais com trânsito intenso.

Leia mais: “Demência é um problema de saúde que não podemos mais ignorar”, afirma atriz

“Junto com o aumento dos índices de demência, isso aponta para que mesmo um efeito modesto da exposição a vias próximas pode representar um risco à saúde pública”, afirmou Hong Chen à BBC.

A demência afeta cerca de 50 milhões de pessoas ao redor do mundo. Porém, as causas ainda não são muito bem compreendidas. Os especialistas apontam que o melhor a fazer para reduzir o risco deste mal é manter hábitos saudáveis, entre eles praticar atividades físicas, ter boa alimentação e não fumar.

  • Cadastre-se e receba nossas novidades!