instagram arrow-down

Sobre nós

O Liberidade surgiu com a missão de trazer luz ao cotidiano dos idosos e escrever novos capítulos de velhas histórias. Afinal, se tudo correr bem, todos vamos envelhecer. E nada melhor do que saber aproveitar a liberdade que a maturidade proporciona.

Categorias

Posts recentes

Comentários recentes

Arquivo

Meta

Navegar na internet e jogar cartas podem ajudar idosos contra demência

Estudo mostrou que quem pratica essas atividades uma vez por semana tem menos risco de declínio mental, mas não foi possível provar a relação

Um novo estudo publicado na revista especializada “JAMA Neurology” diz que atividades como navegar na internet, socializar e jogar cartas podem ajudar pessoas com mais de 70 anos contra o declínio mental. Realizar essas atividades que estimulam a mente beneficiariam até mesmo os idosos com variação genética ligada ao Alzheimer.

+ Senador quer que respeito aos idosos seja ensinado nas escolas

Os resultados mostraram que “estar ocupado mentalmente é bom para a saúde do cérebro”, segundo Heather Snyder, da Associação de Alzheimer. Entretanto, os pesquisadores dizem que ainda não é possível provar a ligação entre essas atividades e o menor risco de declínio mental.

Durante o estudo, foram analisadas cinco ocupações diferentes: uso de computador, atividades manuais, jogos como xadrez ou baralho, ir ao cinema ou outros tipos de socialização e ler livros.

Objetivo da pesquisa é saber se essas atividades poderiam ajudar a prevenir o declínio cognitivo leve (Foto: Pixabay)

A pesquisa foi realizada com quase 2 mil indivíduos com idade entre 70 e 93 anos e sem nenhum problema de memória. Esses indivíduos foram questionados se praticavam alguma dessas cinco atividades durante o ano anterior e, em caso positivo, em qual frequência. Em seguida, foram testados para a condição em exames mentais a cada 15 meses por cerca de quatro anos. Durante esse período, 456 participantes tiveram comprometimento mental leve.

+ Encontros de grupo de apoio a cuidadores de pessoas com Alzheimer voltam em 2 de março

Nas análises de resultados, foi descoberto que os participantes que praticaram uma das atividades (exceto ler livros) pelo menos uma vez por semana tiveram de 20% a 30% menos risco de desenvolver comprometimento mental durante esses quatro anos do que os que não realizaram as atividades.

+ Moana encanta por mostrar respeito e amor aos avós

O objetivo é saber se essas atividades poderiam ajudar a prevenir o declínio cognitivo leve, como problemas de memória, pensamento e atenção que não interferem muito na vida diária, mas que aumentam os riscos de desenvolver Alzheimer e outros tipos de demência.

  • Cadastre-se e receba nossas novidades!