instagram arrow-down

Sobre nós

O Liberidade surgiu com a missão de trazer luz ao cotidiano dos idosos e escrever novos capítulos de velhas histórias. Afinal, se tudo correr bem, todos vamos envelhecer. E nada melhor do que saber aproveitar a liberdade que a maturidade proporciona.

Categorias

Posts recentes

Comentários recentes

Arquivo

Meta

Tratamento com ultrassom pode ser esperança para pessoas com Parkinson

Britânico com transtorno neurológico passou pelo procedimento e, hoje, não sente mais incontroláveis tremores em sua mão direita

Um novo procedimento que é realizado sem o uso de bisturis ou anestesia pode ajudar médicos a encontrarem uma forma de acabar com os tremores causados pelo Mal de Parkinson e outras doenças.

Leia mais: Caminhada nórdica ajuda no tratamento de pacientes com Parkinson no Rio Grande do Sul

Entre as primeiras pessoas a experimentar o tratamento com ultrassom está o pintor e decorador britânico Selwyn Lucas. Ele sofria com tremores incontroláveis em sua mão direita, mas especialistas conseguiram reverter o quadro.

Novo procedimento é realizado sem o uso de bisturis ou anestesia (Reprodução BBC)

Os tremores eram causados por um transtorno neurológicos, provocado por falhas nos circuitos do hipotálamo – região na base do cérebro. De acordo com reportagem da BBC, pessoas com esse tipo de enfermidade costumam passar por uma cirurgia no cérebro ou, então, precisam de medicamentos, mas em ambos os casos há risco de derrame ou infecções.

Leia mais: Parkinson pode ser detectado precocemente com exame de vista

No caso do ultrassom, as ondas são direcionadas ao local do problema e destroem os tecidos que geravam sinais elétricos que chegavam aos músculos. “Uma forma simples de imaginar como funciona esse sistema é quando usamos uma lupa para concentrar os raios de sol em um ponto, e a partir daí fazer um buraco”, explicou o radiologista Wladyslaw Gedroyc, do hospital universitário Imperial College.

A técnica foi aprovada no início do ano pela FDA (Food and Drug Administration), que funciona como a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) nos Estados Unidos, porém ainda são necessários testes internacionais para avaliar sua efetividade e segurança.

Leia mais: Campanha usa caligrafia de ex-professora com Parkinson para conscientizar sobre a doença

Atualmente, a máquina Exablate Neuro, necessária para o procedimento, está presente, em sua maioria, em países europeus. O Brasil ainda não possui a tecnologia.

Cadastre-se e receba nossas novidades!

Obrigado por se inscrever.